Destaque:

Estado brasileiro na encruzilhada. Já sabemos o que a Globo quer... e você?

Atualizado em 7/12: O <<juízo final>> no STF hoje Queria poder dizer que criei esta montagem, mas não......

Receba novos posts por email!

17.11.16

Alerta de advogados engajados na defesa das ocupações: Brasília é o plano piloto da repressão em nível federal

Alerta de advogados engajados na defesa das ocupações: Brasília é o plano piloto da repressão em nível federal


- A farsa judiciária das ações determinando a desocupação das escolas: MP "processa" o governo, ambos já combinados.

- Contam, ademais, com juízes que não reconhecem vozes contrárias, fora dessa simulação, como partes.

Alerta: o Distrito Federal é o plano piloto para a ação em nível federal!


*

As coisas por aqui estão uma loucura, andando de ocupação em ocupação dos secundaristas e de universitários.

Eis um breve relato sobre a farsa judiciária das ações de desocupação.

O MP fez um conluio com o governo distrital. Montaram uma verdadeira farsa judicial.

As milícias de extrema-direita foram ao MP e denunciaram as ocupações por "impedirem o direito à educação". Patético...

Os promotores entraram, então, com uma Ação Civil Pública contra o governo distrital - obrigação de fazer - para que esse desocupasse as escolas

O juiz concede a liminar e determina a desocupação.

Nós entramos com agravo em nome de uma mãe (representante legal) de uma aluna ocupante e da UBES como 3º interessado.

O juiz não nos reconhece como parte legítima, não conseguimos atuar e as partes do processo permanecem apenas MP e Executivo do governo do DF - combinadas.

<<Ambos têm o mesmo interesse: a desocupação das escolas!>>

Trata-se de uma simulação!
Uma clara ação dessas instituições para impedir o direito de defesa dos estudantes das ocupações.
Entramos com HC e esse foi denegado. 

Note bem:

<<O Distrito Federal é o plano piloto para a ação em nível federal!>>

O MBL e um tal de "Distrito Liberal" colheram 3.000 assinaturas e levaram ao MP ~ Federal ~ denunciando o movimento estudantil, com o mesmo argumento do "direito à educação" usado aqui no DF.

A Procuradora da República já pediu explicações sobre as aulas e sobre a preservação do patrimônio público.

Também nesse caso a lógica será a mesma:

- Instar a ação do MP, que "aciona" o Executivo para que esse desocupe as unidades de ensino federais.

Não temos dúvidas de que a ideia é nos impedir novamente de defender os alunos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba novos posts por email!