Destaque:

Estado brasileiro na encruzilhada. Já sabemos o que a Globo quer... e você?

Queria poder dizer que criei esta montagem, mas não... recebi de um seguidor no Facebook, como comentário a um artigo anterior. rs ...

Receba novos posts por email!

30.4.18

“Kakay” comenta carteirada de Moro para cima do TFR-1: extradição – ilegal! – de luso-brasileiro

“Kakay” comenta carteirada de Moro para cima do TFR-1: extradição – ilegal! – de luso-brasileiro:

Participação do criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o “Kakay”, no Duplo Expresso de 30/abr/2018.
– Kakay: “eu, quando era estudante, eu achava que o cumprimento da Constituição era algo reacionário, porque eu queria sempre avançar mais em termos de direitos individuais, de direitos coletivos. No Brasil de hoje, nesse momento punitivo pelo qual passamos, cumprir a Constituição passou a ser revolucionário!”
– Romulus Maya: “(Kakay) esclareceu essa questão interessantíssima, fora a questão dramática de a gente ver se Constituição vale ou não. Questão interessantíssima: o indivíduo ter primeiro iniciado o processo (de extradição de Portugal para o Brasil) como português naturalizado, depois juntado os documentos para ter reconhecida a sua nacionalidade portuguesa originária, (ter também recorrido, com sucesso, ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos contra o pedido de Moro) e permitir essa discussão, que transcende o Direito e hoje adentra a esfera política: saber se a sociedade brasileira – a classe política inclusive – tem a garantia da Constituição diante do avanço de determinados magistrados (leia-se: Sergio Moro)”.

“Direito ao ponto” #5 – “delações premiadas”

“Direito ao ponto” #5 – “delações premiadas”:

Nesta semana, Maria Eduarda Freire trata do instituto da delação premiada. Desde a sua origem nas Ordenações Filipinas, até completa degeneração – de si e, por meio dela, do próprio processo penal brasileiro como um todo – no país da Lava Jato.  Assim como na “Deforma trabalhista”, agora no processo penal prevalece o negociado – com um MPF abandidado – sobre o legislado (!)

29.4.18

Por que a Europa teme as “Novas Rotas da Seda” patrocinadas pela China

Por que a Europa teme as “Novas Rotas da Seda” patrocinadas pela China

A “Iniciativa Cinturões e Estradas”, para Pequim, tem tudo a ver com geopolítica, mas principalmente com projeção geoeconômica – incluindo a promoção de novos padrões e normas globais de comércio que podem não ser exatamente as praticadas pela União Europeia. E isso nos leva ao coração da matéria, que não se lê no relatório interno da Comissão Europeia vazado: a intersecção entre a “Iniciativa Cinturão e Estrada” e outra, a “Made in China: 2025”.
Pequim está dedicada a se tornar um dos líderes globais no campo da alta tecnologia em menos de sete anos. “Made in China: 2025” identificou 10 setores – incluindo Inteligência Artificial, robótica, aeroespaço, carros e navios e estaleiros verdes – como prioritários.

TSE – A urna eletrônica é segura, “la garantía soy yo”

TSE – A urna eletrônica é segura, “la garantía soy yo”:

O Duplo Expresso dá início, a partir deste texto, a um processo permanente de vigília dos passos do TSE e de tudo que esteja relacionado ao processo eleitoral brasileiro. Contamos com o apoio de todos com informações, críticas e sugestões. Entendemos que somente assim estaremos a contribuir para o fortalecimento da democracia.

28.4.18

Robotização é desemprego? Não (necessariamente!): tecnologia é problema político, não econômico

Robotização é desemprego? Não (necessariamente!): tecnologia é problema político, não econômico:

Não há relação direta entre a taxa de crescimento da produtividade e o desemprego. Portanto, não faz sentido, em princípio, temer pela perda de empregos. Os problemas relacionados ao rápido avanço da produtividade não são econômicos, mas políticos. Se gera concentração de poder político, pode gerar problemas sociais – e até mesmo militares – gravíssimos.
Entre 1945 e 1980, os trabalhadores contaram com a colaboração dos governos porque as elites temiam o alastramento do comunismo. Hoje, as elites não têm nenhum medo de deixar milhões desempregados passando fome, mas bovinamente entretidos com redes sociais, fake news, futebol, TV, etc.
O medo de revolução faz milagres. Mas se a tecnologia afastar o risco da insubordinação à tirania e à desigualdade, ela pode ser realmente um grande desafio para os anseios de liberdade, igualdade e fraternidade.

“Quo Wadihs” – mais um engodo mirando Gleisi Hoffmann

“Quo Wadihs” – mais um engodo mirando Gleisi Hoffmann

Comentários sobre a tentativa de afastar Lula de seus líderes, amigos e correligionários passa por mais um consenso fabricado. Desta vez, isso ocorre contra o exercício da livre advocacia.
Atenção: não há que se confundir eventual “vedação” (sic) à Senadora Gleisi Hoffmann utilizar a procuração outorgada por Lula para defendê-lo na ação penal do triplex – “vedação” grafada deliberadamente entre aspas, posto que no mínimo “controversa” – com a bizarra (aqui, sim, sem aspas) PROIBIÇÃO INAUDITA ALTERA PARTE EX OFFICIO* de a Senadora ser constituída advogada do Presidente Lula para qualquer (outro!) fim. É sofisma atrás de sofisma.
– Senadora Gleisi Hoffmann, não se deixe enganar por “interpretações” (sic) veiculadas na mídia engajada. Ou, no caso, até mesmo por conselheiros “jurídicos” (?) “de casa” (?). Aliás, seriam esses os mesmos “bons” conselheiros que afirmaram, no Sindicado em São Bernardo, que “em prisão preventiva não cabe habeas corpus por 81 dias”?! Hmmm… de fato “bons conselheiros”… mas para quem?

25.4.18

Jogo de Damas 25/abr/2018

Jogo de Damas 25/abr/2018:

As apresentadoras Patrícia Vauquier e Amanda Rabusky comentam com a cartunista e chargista Laerte Coutinho e o cartunista e músico Renato Aroeira sobre: “O papel do humor em tempos de guerra”.

Em primeira mão: a carta de Lula aos petroleiros

Em primeira mão: a carta de Lula aos petroleiros:

O Coordenador Nacional da Federação Única dos Petroleiros, José Maria Rangel, conhecido na luta sindical por Zé Maria, lê carta pungente enviada pelo Presidente Lula aos companheiros petroleiros. A emoção não pode ser contida quando é lembrada a ligação de Lula com a categoria, todos unidos em defesa da Petrobras, da soberania brasileira sobre as riquezas minerais do país e, grosso modo, um projeto nacional. Afinal, é essa a principal razão a motivar a perseguição política de que o ex-Presidente é vítima, culminando no cárcere de onde Lula escreve, justamente, essas linhas

Geopolítica no Séc. XX: a civilização do automóvel (a gasolina!)

Geopolítica no Séc. XX: a civilização do automóvel (a gasolina!):

O fordismo, dominado pelos EUA, inventou produção e adoção em massa a custo acessível de um conjunto de tecnologias derivadas da primeira fase da revolução industrial. Estamos falando dos eletrodomésticos, o rádio, o cinema, a televisão, o automóvel e a super-urbanização, o domínio do setor terciário e, consequentemente, a libertação da mulher e a consequente ampliação da força de trabalho voltada para produção de excedente. A grande luta das políticas de desenvolvimento do século XX foi a autonomia sobre a indústria petrolífera e automobilística.

Pt. 2 - Bola da vez: "Plano B" atira em Gleisi... para eliminar Lula!

Duplo Expresso 25/abr/2018

Duplo Expresso 25/abr/2018:

Destaques:
– A arquiteta e mestra em Engenharia Civil Patrícia Vauquier comenta: “Lutar por Lula é defender a soberania energética”
– O jurista Luiz Moreira e o advogado Samuel Gomes falam sobre: “A submissão da democracia aos tribunais”
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

24.4.18

Bola da vez: “Plano B” atira em Gleisi… para eliminar Lula!

Bola da vez: “Plano B” atira em Gleisi… para eliminar Lula!

Os inimigos de Lula sabem que enquanto ele puder contar com a fidelidade da Senadora – e esta se mantiver numa posição de força dentro do PT – menores serão as chances de que as sucessivas tentativas de extorsão – agora já mediante sequestro (de Lula) – tenham êxito. Os ataques de que Gleisi é objeto visam a pressiona-la fora – e dentro – do PT. Flagelar o seu moral. Tudo isso para que, finalmente, sucumba e suplique ao Pai que afaste dela o cálice: a manutenção da candidatura de Lula – “até as últimas consequências” (apud Gleisi Hoffmann).

“Direito ao ponto” #4 – Habeas Corpus: direito fundamental

“Direito ao ponto” #4 – Habeas Corpus: direito fundamental:

“Direito ao ponto” #4 – Habeas Corpus: direito fundamental

Duplo Expresso 24/abr/2018

Duplo Expresso 24/abr/2018:

Destaques:
– O professor universitário e comentarista de política internacional na imprensa angolana, Paulo Gamba comenta: “Por que os EUA querem desarmar a Coreia do Norte?”
– Reda Soueid, militante progressista árabe fala sobre: “Quem orienta o ‘terrorismo’ de Ana Amélia?”
– O doutor em Economia Gustavo Galvão comenta: “Medidas que devem ser tomadas pelo próximo presidente para tirar o Brasil da crise econômica”
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

Duplo Expresso 24/abr/2018

Duplo Expresso 24/abr/2018:

Destaques:
– O professor universitário e comentarista de política internacional na imprensa angolana, Paulo Gamba comenta: “Por que os EUA querem desarmar a Coreia do Norte?”
– Reda Soueid, militante progressista árabe fala sobre: “Quem orienta o ‘terrorismo’ de Ana Amélia?”
– O doutor em Economia Gustavo Galvão comenta: “Medidas que devem ser tomadas pelo próximo presidente para tirar o Brasil da crise econômica”
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

Duplo Expresso 24/abr/2018

20.4.18

Companheiro Dirceu, o Brasil não pode hibernar 6 anos

Companheiro Dirceu, o Brasil não pode hibernar 6 anos

Colocado em xeque com a constatação cabal da mentira empregada para induzir Lula a erro em São Bernardo, o círculo de traidores no PT tenta capitalizar a entrevista de José Dirceu à Folha de S. Paulo para a sua causa. Erra quem supõe poder haver alguma censura da parte do Duplo Expresso a tais colocações – públicas e publicadas – de José Dirceu. Em vez disso, apenas solidariedade e compreensão. Mas que em nenhum momento diminuem a revolta diante de exercícios de coerção perpetrados por quem passou a ter o poder de vida e morte – política e civil – no Brasil.

19.4.18

Operando contra o país: o papel do Banco Central no Golpe de 2016

Operando contra o país: o papel do Banco Central no Golpe de 2016

– Inimigo “externo”: o Brasil tem ao redor de 450 bilhões de dólares não declarados no exterior, operando ciclicamente contra si. Essa massa de dinheiro se comporta como investidor “estrangeiro”: ganha quando o Brasil perde, pois realiza lucros em dólares e não em reais.
– Mas, diferentemente do investidor estrangeiro verdadeiro, opera em um mercado que bem conhece. Inclusive contando com informação privilegiada para se posicionar. Quando não com operações estruturadas sob medida por seus sócios no poder, possibilitando ganhos ainda maiores, em mecanismo de dupla alavanca.
– E quem são os verdadeiros donos de tanto dinheiro não declarado no exterior? Trata-se de recursos, em sua maioria, de origem ilícita. Cuja origem remonta ao modo de operar pós-instituição da correção monetária, no Regime Militar.

Por que Lula jamais deveria entregar-se a Moro?

Por que Lula jamais deveria entregar-se a Moro?:

Nossas instituições estão sequestradas e a democracia no Brasil está suspensa. Não há prudência ou inteligência no fato do ex-presidente Lula entregar-se a seus algozes. Então, por que ele foi induzido a fazê-lo?

Duplo Expresso 19/abr/2018

Duplo Expresso 19/abr/2018:

Destaques:
– O Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães comenta a atualidade política do Brasil e do Mundo.
– O Deputado Federal do PT-RJ Celso Pansera comenta: : “A frente na luta política para a libertação de Lula e do povo”.
– A jornalista e comentarista de política Niobe Cunha fala sobre: “A desobediência civil para restauração da ordem perdida”.
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

17.4.18

“GloBosfera” ameaça com “horror” para empurrar Haddad-Ciro – e enterrar (literalmente?) Lula

“GloBosfera” ameaça com “horror” para empurrar Haddad-Ciro – e enterrar (literalmente?) Lula


– Colocando Ciro na berlinda Nassif em realidade joga o Coronel de Sobral-CE às feras, já que todos os que se mantêm fiéis a Lula – a maioria – encontram-se totalmente incendiados. Muy amigo, Nassif! Pinta Ciro como a hiena oportunista que ri diante da carcaça de Lula, quando na verdade, pela via retórica da contraposição a um “bom moço”, Nassif quer em realidade impulsionar o “Plano B” – Fernando Haddad. Haddad… o Plano B de B’ola nas costas – nas costas de Lula e do povão; “B” de B’ancos; e, pior de tudo, “B” de B’astardo… do Golpe!
– Desafiando lógica que a nós resta clara – “rei posto, rei morto” – bem como todas as abundantes evidências de ser transnacional o comando do Golpe, articulistas do quilate do Professor Wanderley Guilherme dos Santos e Ricardo Cappelli limitam essa que é uma verdadeira guerra de sobrevivência do Brasil enquanto ente soberano a uma mera briga paroquial entre esquerda e direita tupiniquins.
– Círculo dos traidores no PT: mais uma vez “a verdade chegou primeiro”, via Duplo Expresso. O recibo – agressivo – passado pela tropa de choque do grão-mestre do círculo traidor, José Eduardo Cardozo, mostra que mais uma vez acertamos… no olho.
– A traição está exposta. A GloBosfera está nua. Em vista disso, é de se perguntar de que adianta o Senador Lindbergh Farias, ainda afastado da maioridade política, ir ao Conversa Afiada externar a sua justa indignação diante do escândalo ocorrido em São Bernardo. Apenas para vê-la canalizada por Paulo Henrique Amorim em favor de Ciro Gomes. E, incrível, em desfavor do próprio Lula! Ai ai ai…
– Dúvida: ao que visa, no jogo, Rui Costa Pimenta, do PCO? Certamente não escapa a alguém com tamanha capacidade analítica a valiosa credibilidade que o Brasil 247 – a descarada central do “Plano B” – busca auferir junto ao público de esquerda mantendo a sua presença lá.

Duplo Expresso 17/abr/2018

Duplo Expresso 17/abr/2018:

Destaques:
– O professor universitário e comentarista de política internacional na imprensa angolana, Paulo Gamba comenta: “A Síria no debate geopolítico”.
– O doutor em Economia Gustavo Galvão fala sobre: “Por que o petróleo ainda é importante para as economias”.
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

12.4.18

Sabotagem impediu Lula de resistir – com STF ficando livre para descumprir promessa

Sabotagem impediu Lula de resistir – com STF ficando livre para descumprir promessa

– Gostemos ou não disso, a grande São Paulo não é Eldorado dos Carajás – PA. Lula, Gleisi Hoffmann, demais Senadores, Deputados, Governadores de Estado, assessores, líderes de movimentos sindicais e sociais, artistas e juristas não são militantes “sem nome” do MST. A ideia de que chegariam a invadir a sede do sindicato atirando, sob as lentes da imprensa internacional, é simplesmente ridícula – quando não mal-intencionada.
– Em quem confiar? Além de Lula, que evidentemente não tem formação jurídica, a operação de confusionismo pseudo-“jurídico” articulada por José Eduardo Cardozo logrou confundir Gleisi Hoffmann, João Pedro Stédile, do MST, e Lindbergh Farias, entre outros. Apesar do grande incômodo expressado desde ontem por – certos – apparatchik do PT com mais uma “verdade inconveniente” revelada pelo Duplo Expresso, sendo eles mais ou menos responsáveis – por ação ou omissão – pelo sucesso da operação que enredou a liderança da resistência em São Bernardo, contra vídeos e áudios (abaixo) não há argumentos.

11.4.18

Círculo dos traidores: acertados com Moro, traíras no PT enganaram e entregaram Lula

Círculo dos traidores: acertados com Moro, traíras no PT enganaram e entregaram Lula

Lula foi enganado pela claque de José Eduardo Cardozo, para que desistisse de resistir e se entregasse aos seus algozes. Usaram a fake news – ou melhor: a fake law (!) – de que não poderia haver concessão de habeas corpus para Lula por 81 dias (!) caso Moro decretasse prisão preventiva em vista da sua insubmissão em São Bernardo do Campo ao “juiz” do Paraná. Mentiram para o Presidente, para derrubá-lo. Como verão ao final, em vídeo, enganaram com tal mentira até mesmo o bravo João Pedro Stédile, do MST! Que fase. Como diz o parceiro Wellington Calasans, para cobrir – e aparentemente também para fazer – política no Brasil hoje é preciso ser PhD em direito (!)

9.4.18

Chico Pinheiro – a Globo! – e a facilidade de manipular militontos

Chico Pinheiro – a Globo! – e a facilidade de manipular militontos

– Alvo perfeito para manipulação e para cair vítima da tática da pinça na batalha da comunicação: o incrível desespero da “militôncia” – não apenas hoje… isso vem de longe – para se agarrar a qualquer “grife” – da direita – (alegadamente) lhe dando razão. E depois quem tem “complexo de vira-lata” é (só) a classe-média “coxinha”, sabe…
– Subtexto – nem tão “sub” assim: “desmobilizem-se… estamos muito melhor agora – com Lula preso – do que estávamos antes com ele solto. A cadeia lá em Curitiba, na verdade, é um santuário… Lula que é bobo de ter resistido tanto, até aqui, em ir pra lá fazer um mero… ahn… ‘retiro espiritual’, sabe…
– As células no PT entreguistas – do Brasil e agora, literalmente, de Lula – sempre viverem do peleguismo político-social. Ou seja, da capacidade de vender ao capital, ao longo do tempo, a rica mercadoria de impedir levantes. Em suma, traficam as nossas esperanças. A nossa luta. Contra (gordo) pagamento, é claro.
– Em vez de tentarem negar a realidade e reclamar do alerta, aceitem – ou melhor, façam algo a respeito: a vida de Lula está, sim, em risco!

“Direito ao ponto” #3 – “Caso Lula e a Constituição”

“Direito ao ponto” #3 – “Caso Lula e a Constituição”:

Com Maria Eduarda Freire, para o Duplo Expresso.

8.4.18

“Lula precisa morrer” – e só o salvando sobreviveremos

“Lula precisa morrer” – e só o salvando sobreviveremos:

Que fazer? Aceleremos o passo: restam-nos alguns meses apenas. Precisamos tirar – urgentemente – Lula da cadeia. É nossa única chance contra um futuro distópico. Para salvarmos a Lula – e a nós próprios – precisamos gritar mais alto que as vozes dos bajuladores mal e bem-intencionados, que repetem ao Presidente que “ele já é enorme na História”. Gostemos ou não disso, Lula é o líder – incontornável – da resistência anti-imperialista nesta geração. É, portanto, preciso que também ele lute contra a auto-doutrinação e aceite a verdade: o único Davi esculpido em mármore de Carrara pelo mestre Michelangelo é aquele 1 em 100 que…venceu. Afinal, a História é escrita – mal ou bem, pouco importa – pelos vencedores.

6.4.18

Chegou a hora de uma anti candidatura - Por Roberto Xavier

Sobre o “clamor popular” contra e inevitável prisão de Lula tenho alguns pontos a considerar:

Enquanto esse “clamor popular” não colocar mais de 1 milhão de pessoas nas ruas como ocorreu na década de 80 pelas Diretas Já e no pré-impeachment de Dilma e quase isso nas manifestações dos “caras pintadas” contra Collor na década de 90 não será visto como pressão popular.

Enquanto Lula, preso ou não, for decisivo no processo eleitoral não há espaço para a negociação de uma alternativa democrática com esse Congresso que aí está, que queiramos ou não detém o monopólio da mudança dessa institucionalidade em vigor.

A alternativa de uma decisão por vias jurídicas seria uma interferência que não contribuiria para a solução, muito pelo contrário. Isso foi perfeitamente demonstrado no julgamento do habeas corpus ontem. (...) num grande acordo nacional. Com o Supremo, com tudo.

Ao fim e ao cabo, eleição sem Lula, é uma alternativa tão inconstitucional e politicamente ruim como foi tirar Dilma da Presidência sem crime de responsabilidade, ou seja, neste contexto as próximas eleições serão, um retorno ao pacote de Abril de 77 com a eleição de um Presidente Biônico, mesmo que eleito pelo voto popular

Está dado o impasse:

Lula não deverá disputar a eleição, seja porque estará preso, seja porque sua eleição neste momento não será capaz de pacificar o país, seja porque a coalizão de forças que nos colocou neste impasse continua a ditar as regras dessa insanidade. O fato é que não há mais como termos um processo eleitoral legal e democrático com ou sem a presença do ex-presidente.

As próximas eleições tem que se dar dentro do que mais próximo há da legalidade, ou seja, eleições diretas, com a participação de todos os candidatos, representando todas as forças políticas do país, inclusive Lula.

Não é porque acredito que a eleição de Lula, neste momento, será ainda mais prejudicial ao cenário político nacional que vou concordar com inconstitucionalidades, ou isso, ou como disse um certo Passarinho: “às favas, senhor presidente, com os escrúpulos de consciência”.

Também não tenho a menor simpatia pelo nosso Congresso Nacional, mas a eleição de Lula, ou de quem quer que seja, sem uma bancada com pelo menos 200 Deputados alinhados será um curta metragem de horror com a abertura de novo processo de impeachment em menos de 100 dias de governo

Querermos eleições de Lula não faz com que elas aconteçam muito menos que seja uma solução.
Neste momento é preciso trabalhar com a máxima política sintetizada por Antonio Gramsci na fórmula “pessimismo da razão e otimismo da vontade”.

O otimismo da Vontade nos diz que Lula seria eleito, mas o pessimismo da Razão diz que não governará para reverter o Golpe em curso e pacificar o país

Precisamos torcer para que cheguemos a eleição com um mínimo de instituições funcionando e com a retomada de processo democrático abortado pela crise política causada pela falência do modelo de presidencialismo de coalizão, incapaz de entender as demandas reais da população e minimamente mitigar as consequências de suas escolhas de ajuste macroeconômico e pela falência do sistema de representatividade política, que provocou a alternância no Poder por vias não eleitorais.

E isso já é bastante coisa.

Dado esse impasse a solução mais racional, por mais inviável que seja, seria que Lula se inspirasse em Ulisses Guimarães para se tornar, por motivos diferentes, um anti candidato. Deveria convencer o Partido e as Esquerdas a retirar sua candidatura e utilizar seu peso político e eleitoral para formar a maior bancada de esquerda possível para governar através do Congresso.

Só para lembrá-los a que estou me referindo, em 1973 durante o regime militar a sucessão de um novo general-presidente estava decidida. Mesmo assim, Ulysses Guimarães lançou-se candidato a presidente -anticandidato, já que sabia não ter chance.

Seu objetivo era a denúncia da eleição e da ditadura. "Não é o candidato que vai percorrer o País. É o anticandidato, para denunciar a antieleição, imposta pela anti-Constituição" discursou na Convenção do MDB de 1973, que o lançou tendo Barbosa Lima Sobrinho como candidato a vice.

Duplo Expresso 6/abr/2018

Duplo Expresso 6/abr/2018:

Destaques:
– A professora de Filosofia da Unifor e membro do do Instituto Latino Americano de Estudos sobre Política, Direito e Democracia, Sandra Helena Souza comenta: “Procuramos liberais democratas no Brasil. Recompensamos com um país soberano”.
– O antropólogo e doutorando em Antropologia Social e Cultural no Instituto dos Mundos Africanos, João de Athayde fala sobre: “O complexo de vira-lata e o entreguismo”.
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

5.4.18

Live extraordinária: hora da verdade – Lula, prisão é ilegal ou não?

Live extraordinária: hora da verdade – Lula, prisão é ilegal ou não?:

Live extraordinária com Romulus Maya e o advogado Rubens Rodrigues Francisco tratando da necessária resposta – política! – à decretação ilegal de prisão de Lula por Sergio Moro – esse, sim, criminoso.

Live extraordinária: hora da verdade – Lula, prisão é ilegal ou não?

Live extraordinária: hora da verdade – Lula, prisão é ilegal ou não?:

Live extraordinária com Romulus Maya e o advogado Rubens Rodrigues Francisco tratando da necessária resposta – política! – à decretação ilegal de prisão de Lula por Sergio Moro – esse, sim, criminoso.

Duplo Expresso 5/abr/2018

Duplo Expresso 5/abr/2018:

Destaques:
– O Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães comenta o resultado do julgamento do HC de Lula.
– A jornalista e comentarista de política Niobe Cunha fala sobre: “Por onde anda o brasileiro cordial? Ninguém sabe, ninguém viu?”
– Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

4.4.18

"A sorte está lançada". por Roberto Xavier

Atravessar o Rubição significa ultrapassar um limite que não se sabe qual será o desfecho. A expressão tem origem na Roma antiga, quando durante o período da República o rio Rubicão representava um limite geográfico, religioso e político, além do qual as Legiões Romanas não podiam ultrapassar armadas sem afrontar a autoridade do Senado Romano e colocar em risco a estabilidade interna.

A partir daí “atravessar o Rubicão”, sobretudo em política, adquiriu um significado simbólico sobre um impasse, sobre uma situação que chegue a um ponto de não retorno. Muitas situações de pré guerra estiveram analogamente associadas a essa expressão.

Mas, um rio não é ultrapassado de maneira imediata e sem uma preparação prévia. Alguns passos são necessários para chegar à sua margem, escolher o melhor ponto de travessia e enfim iniciar a empreitada sem saber o que será encontrado do outro lado.

Na política brasileira recente esses passos vem sendo dados há algum tempo. O primeiro deles foi o pedido de recontagem dos votos na eleição de 2014. Depois disso seguidos e largos passos foram dados em direção à margem desse rio.

A pauta bomba de Eduardo Cunha, a decisão de prisão de Delcídio do Amaral, o vazamento do áudio da conversa de Lula e Dilma, a suspensão pelo Senado da decisão de afastamento de Aécio pelo STF, todo o processo de impeachment, algumas atitudes da PGR, da Lava-Jato e da PF, enfim, as mais diversas atitude dos mais diversos atores políticos vem se constituindo na marcha cega em direção à travessia desse nosso fictício Rubicão institucional.

Acredito que desde o impeachment de Dilma já estamos irremediavelmente com os pés molhados pela água desse rio, mas a decisão de atravessá-lo definitivamente será dada pelo julgamento do Habeas Corpus amanhã no STF, seja qual for o resultado.

A decisão do Senado Romano de proibir que Legiões armadas atravessassem o Rubicão tinha o objetivo de preservar o poder político do povo, representado pelo Senado ou SPQR (no original Senatus Populusque Romanus) que pode ser traduzida como "O Senado e o Povo Romano" do poder armado das Legiões.

Ou seja, a proibição era uma garantia contra golpes de Estado e contra lutas internas ou intestinas na República. Nós desprezamos esta lição.

A decisão do STF marcará definitivamente a cisão interna da sociedade brasileira. Se for favorável ao ex-Presidente, coisa em que não acredito, haverá quem veja na decisão uma proteção à corrupção e a confirmação de que a lei não é para todos. Se for negado o direito ao Habeas Corpus haverá quem veja a confirmação de uma perseguição política. Em ambos os casos a disputa política e a divisão da sociedade se acirrará. E muito.

O General de Legiões e Político Romano Caio Julio César, vindo desde os confins da Gália, atual França, sabia que atravessar o Rubicão significava guerra, o tal ponto de não retorno. Ou sairia dela como um traidor executado e para sempre esquecido entre os meandros da história ou como o glorioso vencedor e governante absoluto da República que queria tornar Império.

Julio Cesar sabia disso. tanto sabia que, segundo os historiadores, quando atravessou o Rubicão, em 49 a.C., violando a lei e tornando inevitável o conflito armado. proferiu a famosa frase “Alea jacta est”.

Cesar sabia. E nós? Sabemos?

A importância do julgamento do STF está na potencial escolha entre dois caminhos, ambos igualmente ruins: a luta cível ou a completa falência das instituições.

"A sorte está lançada".

Duplo Expresso 4/abr/2018

Duplo Expresso 4/abr/2018:

Destaques:
– A arquiteta mestra em Engenharia Civil doutoranda em Administração de Empresas, Patrícia Vauquier comenta: “Ferrovias: colocando o Brasil de volta nos trilhos”.
– O Deputado Federal do PSOL-RJ Glauber Braga e o advogado Samuel Gomes falam sobre: “O Habeas Corpus de Lula: o STF julga a democracia”.

3.4.18

“Direito ao ponto” #2 – O Brasil não é o país da Impunidade

“Direito ao ponto” #2 – O Brasil não é o país da Impunidade: Com a advogada Maria Eduarda Freire, engajada na luta contra a meganhagem e pela restauração do Estado de Direito.

Duplo Expresso 3/abr/2018

Duplo Expresso 3/abr/2018:

Destaques:
– O professor universitário e comentarista de política internacional na imprensa angolana, Paulo Gamba, comenta: “A ‘Presunção da Inocência’ no Direito Internacional”.
– O advogado Rubens Rodrigues Francisco fala sobre: “A peça Amicus Curiae do Pró-Vítimas/Duplo Expresso pela liberdade de Lula e do Brasil”.
– O doutor em Economia Gustavo Galvão fala sobre: “Geopolítica da mobilidade e energia”.

2.4.18

Duplo Expresso 2/abr/2018

Duplo Expresso 2/abr/2018:

Destaques:
– João Vicente Goulart fala sobre: “A ditadura de toga”.
– Carlos Krebs comenta: “A solidão como demonstração artística”.
Wellington Calasans e Romulus Maya fazem a análise da conjuntura política.

Receba novos posts por email!