Destaque:

Estado brasileiro na encruzilhada. Já sabemos o que a Globo quer... e você?

Atualizado em 7/12: O <<juízo final>> no STF hoje Queria poder dizer que criei esta montagem, mas não......

Receba novos posts por email!

9.11.17

Golpe entrega satélites brasileiros ao Império: "Cafezinho no WC"







Privatização do satélite é na verdade a consequência da privatização da Telebrás, que é a estatal que a Dilma resgatou pra implantar a banda larga na Eletrobrás e Petrobras, além de fornecer a internet banda larga via satélite pros lugares de mais difícil acesso, como as plataformas do pré-sal, por exemplo.

Só que a historia do satélite não é tão simples porque 70% do satélite está na mão da Telebrás e os outros 30% pertence aos militares. Imbróglio. No Brasil a internet atinge em média cerca de 54% dos domicílios no total. Sendo que 59% dos domicílios da zona urbana e só 26% na rural. Se for ver por faixa de renda, até 1 sm, 29% e mais de 10sm, 99%. Ou seja, a internet é um artigo de luxo. Pressupõe outros equipamentos como computador e modem ou cabo. E quem tem computador em casa corresponde a 26% dos domicílios.

Com a Telebrás a Dilma estava querendo suprir o vazio da falta de fornecimento pelos provedores privados. Que assumiram a telefonia fixa. A internet por cabo precisa da mesma infra que o telefone fixo e a eletricidade. E por isso é caro e pouco lucrativo levar essa infra pra lugar q não tem muita gente. Cada fibra ótica pode atender cerca de 148 domicílios com um fluxo bom. Um cabo tem varias fibras e da pra atender bastante gente. Só que tem q pagar pra passar no meio da Amazônia por exemplo ou levar os cabos submarinos até as plataformas de petróleo. O satélite é uma opção. Mas o serviço mais garantido é a fibra mesmo.

A privatização dos serviços de telefonia representou a farra pra empresas privadas. Primeiro porque a infraestrutura foi deixada de lado. Os bens imóveis não integraram o leilão de privatização. Porque “teoricamente” esses bens teriam que ser devolvidos pra União após 25 anos. Acontece que a ANATEL fez vista grossa e as empresas de telecom venderam os bens q não pertenciam a elas. Ninguém sabe pra onde foi o dinheiro. O gato comeu?

Isso porque as empresas não investiram na telefonia fixa. Cerca de 29% dos domicílios tem telefone fixo contra 93% de telefone celular. No Brasil ocorre o mesmo fenômeno que na África, em q ao invés de expandir a rede de telefone fixo, o celular tomou o lugar. O fluxo da 3G e da 4G não é o mesmo que o da fibra. E agora o governo quer perdoar a dívida das teles, bem como a venda dos bens reversíveis, públicos (que não eram delas... estavam “alugados” a eles!).

No ano de 2015 as empresas arrecadaram 234bi de receita e o reinvestimento foi de 14%. Sendo que a maior carga tributaria é o ICMS, que é o imposto dos Estados. Comparando com outros países, a conta de internet e de telefone celular está em 89o lugar. Quer dizer que tem 88 países com uma taxa mais barata que o Brasil.

O governo da China, Canada, EUA, Argentina e Austrália por exemplo investiram dinheiro público na banda larga, porque cada 10% a mais de acesso corresponde ao aumento de 1 ponto percentual no PIB. O privado não quer saber de investir

Curiosidade: aparelho de TV está presente em 98% dos domicílios. Dá pra entender por que a Globo tem o poder que tem. Sabendo que desde 1962 o Jango tentou aprovar uma lei q previa a punição para a divulgação de noticias falsas. O código brasileiro de telecomunicações foi vetado pelo Congresso, composto por Parlamentares do tipo Carlos Lacerda e Antonio Carlos Magalhaes. Desde aquela época existia a tentativa de lutar contra as concessões de TV pra parlamentares. Hoje, 40% dos congressistas tem um canal de TV/rádio local.



*   *   *



- Siga no Facebook:


- E no Twitter:



Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como "uma esquerdista que sabe fazer conta". Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba novos posts por email!