Destaque:

Estado brasileiro na encruzilhada. Já sabemos o que a Globo quer... e você?

Queria poder dizer que criei esta montagem, mas não... recebi de um seguidor no Facebook, como comentário a um artigo anterior. rs ...

Receba novos posts por email!

15.11.17

A invasão do Brasil: um resumo

Comentário-síntese (excelente) ao post “Resistência nacionalista ao assalto do Imperialismo - EXPRESSO DA MANHÔ, de 14-11-17:



vatar




Pelo que entendi (corrijam-me se estiver errado), neste vídeo (min. 59:00) importantíssimas informações são reveladas por Romulus Maya as quais, evidentemente, não são divulgadas pelo PIG, fato que explica o profundo analfabetismo político que abate sobre a maioria do povo (precisamos de massiva Pedagogia do Oprimido!). O caso que envolve alm. Othon (precisamos também da nossa bomba atômica!), revela também o consórcio de setores (a facção entreguista) tupiniquins que associaram aos interesses neoliberais norte-americanos (leia-se sua inteligência e apoio econômico do mercado globalizado neoliberal) para atacar a soberania do Brasil, impedindo-o de ambicionar um projeto autônomo e desenvolvimento; também está claro quem são os atores dessa facção entreguista que quer transformar o Brasil em sub país vergado ao projeto neoliberal do “irmão” do Norte.

A invasão do Brasil não se dá pelo desembarque de marines de porta-aviões, mas pela já deflagrada Guerra híbrida que se vale, sobretudo, das armas informação e propaganda.


Setores militares entreguistas, nessa disputa ideológica, via veículo de “informação” (que opera em sintonia com famoso think tank recheado de agentes da inteligência norte-americana e certos “institutos” tupiniquins) confundem a mente da caserna e da maioria do povo, dando a entender que a Guerra Híbrida é “patrocinada” pelos “comunistas”, os “bolivarianos” que estão na iminência de novamente descer a Sierra Maestra, pela “onda vermelha” vinda da Rússia (quando sabe-se que V. Putin sequer é esquerdista, mas um nacionalista de centro direita).


Enquanto a maioria do povo se distrai com a “invasão do comunismo”, o verdadeiro inimigo (imperialismo norte-americano com viés rentista neoliberal) pratica a real Guerra híbrida que intenciona invadir (ou melhor, já invadiram) o Brasil a fim de despossuí-lo do seu vasto e riquíssimo patrimônio (pré-sal, sistema elétrico, florestas, água doce etc.)


Logo, os setores nacionalistas (presentes em todos os matizes ideológicos, portanto, sem reducionismo intelectual de “esquerda” vs. “direita”) não são os inimigos do povo brasileiro, muito pelo contrário, pois eles somam forças para impedir a invasão do Brasil pelo imperialismo norte-americano.


Porém, não se deve confundir o povo norte-americano (que também é massacrado pelo neoliberalismo – vide a entrevista do alm. Othon) com o imperialismo que é ditado pela Finança Global, controlada por 1% da população mundial apátrida e que já concentrou metade da riqueza do planeta. A Finança Global sequer é controlada/coordenada pelo Estado norte-americano. Aliás, ela quer, isso sim, é defenestrar D. Trump (sem ofender o Princípio do Mal Menor, é o mal menor, imaginem a situação!) do poder.


A verdadeira invasão é promovida pelo neoliberalismo global, para concentrar ainda mais as riquezas do planeta nas mãos de poucas pessoas e conglomerados multinacionais. Os “generais” do neoliberalismo já trataram de tomar o Estado norte-americano para que viabilizar a “política” do Big Stick (grande porrete). Os neoliberais estão encastelados na estrutura administrativa norte-americana, atuam na sua diplomacia, na sua inteligência etc., e sai e entra governo estão todos lá, intocáveis.


A Finança Global também impõe aos países periféricos “cadeias globais de fornecimento”, ou seja, cada país produz um “pedaço do processo”, assim, se impede o controle autônomo e soberano do processo produtivo. O Brasil, na ótica rentista, tem que ser rebaixado (ou seja, impor-lhe neocolonização e subdesenvolvimento) a mero exportador de commodities. Para isso que serve a verdadeira “constituição” que é imposta pela Organização Mundial do Comércio (OMC), FMI, tratados de livre comércio etc. Nesse sentido, o acordo Mercosul com a União Europeia – UE é uma grande fria para o Brasil, igualmente, com relação à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico - OCDE).


Como somos pequenos e não dispomos dos meios de alfabetizar politicamente a massa oprimida, é imperiosa a necessidade de compartilhar vídeos educadores como este sempre com uma pequena introdução sobre as ideias centrais, a fim de que mais pessoas se interessem e tomem ciência da verdadeira guerra que é travada. É assim que contribuímos para acabar com o analfabetismo político.


* * *


Romulus: Para quem mais quiser contribuir com resumos escritos, o Blog está de portas abertas! São mais que bem-vindos!

*

O programa referido:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba novos posts por email!