Destaque:

Estado brasileiro na encruzilhada. Já sabemos o que a Globo quer... e você?

Atualizado em 7/12: O <<juízo final>> no STF hoje Queria poder dizer que criei esta montagem, mas não......

Receba novos posts por email!

8.12.16

Placar em Brasília: Classe Política 1 x 0 Globo/Moro



Placar em Brasília: Classe Política 1 x 0 Globo/Moro


- Ou: cai o acento e o “acórdão” do STF vira um grandessíssimo “acordão”.

- Decifrando o julgamento no - e do! - STF ontem. E as reações a ele.

- Bônus de peso: fim de-fi-ni-ti-vo e inapelável do discurso “instituições estão funcionando normalmente”...

- ... VIVA!

Por Romulus & núcleo duro

O julgamento de ontem se encaixa no grande esquema do “golpe no golpe”: a luta da dobradinha mídia-Judiciário para subjugar completamente a classe política.

Ou, como temos dito aqui no blog, a tentativa do Reino Oligárquico-“meritocrático” dos Concursados Unidos do Brasil de suplantar, no comando do Estado, a Nova República de 85-88.

Bem... ao menos, o que restou da Nova República depois do desmonte deste ano.

O que ficou provado ontem?

– Que Mídia e Judiciário juntos podem muito – juntos à classe política tiraram até mesmo Presidente da República eleita! Mas ainda não podem tudo.

Ontem, o pouco que resta da institucionalidade de 88 e do poder que a sustenta mostraram que ainda respiram. Mesmo que com a ajuda de aparelhos...

Globo e Curitiba boys botaram o bloco na rua pedindo a cabeça de Renan.

Com um blefe: a ADPF no STF.

Blefe encampado, endossado, pelo Supremo, nas figuras do Min. Marco Aurélio Mello, autor da Medida Cautelar que afastava Renan, e do Min. Barroso, o preposto do bloco mídia-Judiciário no STF e, não por acaso, o pai espiritual daquela ação.

Mas, como dissera o meu amigo Ciro na véspera, o poder político, nas pessoas de Renan Calheiros e dos integrantes da Mesa do Senado, chamou o blefe.

Pagaram para ver.

E, ao final, viu-se que os que blefavam – a Globo e o Judiciário – não tinham mais que uma trinca de 2 nas mãos.

Mas com que moeda a classe política – Renan e os seus – pagou para ver?

- No plano político...

<<rasgando definitivamente o discurso do “as instituições estão funcionando normalmente”>>

Ou seja, peitaram o STF, secundado pela Globo, com um ultimato:

- (ainda) somos nós ou o caos. Deal with that! (“lidem com isso!”)

- No plano econômico, em entendimento com Jorge Vianna e o PT...

<<dizendo (apenas dizendo...) que a PEC 55 não seria aprovada>>

Ou seja:

- (ainda) somos nós ou o caos. Deal with that! (2).

Todos nós já sabemos o resultado do “pega”:

- O STF amarelou.



Ponto “mais alto” (na verdade mais baixo) da humilhação

Fato mais notório e humilhante da rodada de ontem, o Decano da Corte, Rolando Nero (apud Ciro), digo, Celso de Mello, interpelou a Presidenta do STF, Carmen Lúcia, para alterar, no mérito, o voto que já proferira (!) na ação que analisava a mesma situação, mas em tese, e que está com pedido de vista do Min. Toffoli.

Humilhado – mas não sem perder a “majestade”: aquela oratória insuportável das ênfases e escanções no final de ~ cada ~ uma de suas fraseZZzzzZZZzzz... – deu um “cavalo de pau” no seu “entendimento” anterior (rsrsrs):

– Inaugurou a “divergência” ((?) rsrsrs), coonestando o bom e velho “jeitinho brasileiro”.

A fórmula?

– Renan pode permanecer Presidente do Senado sim, mas não poderá assumir a Presidência da República na vacância do cargo.

– Ah, bom, Decano!!


“Jeitinho brasileiro”, aliás, a que se referiram textualmente o advogado da Rede, cria e cavalo espiritual do Min. Barroso, o PGR, Rodrigo Janot, e o Relator da ação, Min. Marco Aurélio.

Aliás, ponto interessantíssimo do julgamento que bem resume a hipocrisia e o casuísmo brasileiro:

<<O “ofendido”, o Min. Marco Aurélio, ao final de seu voto, antes de passar a palavra aos demais, para constrangê-los ainda mais , fez questão de citar nominalmente cada um dos Ministros que votariam a seguir, olhando em seus olhos. E de evocar como a opção pelo “jeitinho” – já acertadíssima – ficaria marcada “em suas biografias”, na “História do STF”, do “Direito Brasileiro”...>>

- Só faltou evocar “a História da humanidade desde que o chimpanzé quis descer da árvore lá atrás”...



Sim, Min. Marco Aurélio... certamente a mácula em suas biografias – sua e de seus colegas – será o “jeitinho” para dizer que Renan venceu o STF no “pega” na BR...

<<Não o ~ J E I T Ã O ~ que deram para se absterem, sempre que provocados, no golpe na Presidenta eleita do Brasil, dando início à - agora escancarada - ruína da Constituição e das instituições de 88>>

– Isso é Brasil, minha gente! Mais claro impossível...

*

O tradicional bate-bola do núcleo duro

Reproduzo, abaixo, um apanhado do bate-bola do núcleo duro durante o julgamento e depois.

Muuuita coisa boa! - e para além da rodada de ontem:

- Análise de onde estamos na disputa entre os dois “projetos” de Estado: a (moribunda) “Nova República” de 1988 e o Reino Oligárquico-“meritocrático” dos Concursados Unidos do Brasil, montados na Globo;
- PEC 55 e o conflito distributivo;
- Reforma da Previdência;
- O desafio da luta política atual, para além da demagogia;
- Os “40 anos no deserto” até chegarmos a uma nova Constituição e uma nova institucionalidade – sem Moysés de guia!

Vou subir o bate-bola completo, com muita coisa boa que não está neste apanhado, como post separado na sequência. Recomendo fortemente a leitura!

*

>>Advogado do Senado

- Chegou para gritar q o rei está nu!
- Veio pintado para a guerra: cita "conflito entre as instituições" (!!)
- Vir falando isso é sem dúvida posição institucional...
- “Não pretendemos estar aqui para desafiar essa corte!" - Ah, não?? (rs)
- O pessoal do outro lado da praça não está pra brincadeira não...

>>PGR – Rodrigo Janot

- Janot discorda de que “haja atrito entre poderes”!!! Eu não posso com isso, gente... É demais! (rs)
- "Instituições estão trabalhando, operando, dentro dos seus limites".
- Estão operando dentro dos limites sim... dos que eles estabeleceram para si: Judiciário manda, Executivo fica com a culpa e o Legislativo vai para a cadeia.
- Finalmente o discurso "instituições estão funcionando" saiu da mídia e agora entrou em ata!



- É aquela máxima da Thatcher da “mulher honesta”: se tem que dizer que estão funcionando é porque – notoriamente – não estão.
-Deram um JEITÃO para tirar a Presidenta eleita do cargo e ele agora não quer permitir um jeitinho para manter o Renan??
- JANOT está achando que está mandando bem, mas está mandando mal. Poderia até ter ganhado a batalha... mas vai ficar “em ata” o PGR falando que o Legislativo descumpriu decisão do STF e deu as costas ao Oficial de ~ Justiça ~
- Isso não muda nada dos votos, mas ele registrou em ata o fim do "instituições estão funcionando”.
- AMÉM!
- Obrigado, Janot!




Reflexões

Ciro:

<<É um problema crônico desse país - fazer soluções estruturais/institucional para resolver problemas conjunturais. Entra em todos os âmbitos - econômico, jurídico, etc. Quer resolver um problema conjuntural - arruma uma solução conjuntural - não inventa outra institucionalidade que depois dá merda>>

Romulus:

<<E VICE-VERSA: mudar a institucionalidade por causa da conjuntura. Ex: PEC da bengala porque a Dilma iria indicar mais 5 ministros>>

<<Mas notem bem: "acordão" pressupõe contrapartida...
Lei anti-abuso de autoridade sobe no telhado e Renan passa a PEC 55>>

<<Celso de Mello, o Decano, sempre vem com essa de rever todas as constituições republicanas, para dar interpretação histórica... como se essas porcarias tivessem algum valor. A primeira Constituição brasileira que efetivamente tinha valor normativo, a de 88, ele e seus colegas ajudaram a matar. Vai tomar banho...>>

Ciro:

<<A questão real de Globo x Renan não é específica ao Renan. É a questão de judiciário x legislativo. Eles querem ser o "Conselho Guardião" tupiniquim na revolução togada da nova sharia teocrática e dizer quem pode ou não ser candidato. É institucional a questão>>

Romulus:

<<Concordo totalmente com vc, Ciro. A questão é sim institucional. Mas então, pensando um pouco mais, o jeito de conciliar as duas coisas é pensar que o ponto era provar o poder de fogo. A Globo tentou tirar o presidente do senado (quem quer que fosse), usou toda a sua artilharia, e fracassou.
Então esta tentando insuflar a turba para tornar a "vitória" o mais cara possível para quem a derrotou.
Concordam com a tese?>>

Ciro:

<<Sim - e desmoralizar ainda mais todas as instituições de Brasília (inclusive o STF) para quando vir o NOVO STF com um supremo líder moral... Moral de relativo a Moro...>>

Romulus:

<<Agora o Fux vem com "momento excepcional da institucionalidade". Mas as instituições não funcionavam ~ normalmente ~ ?? (rs)>>

<<O importante é notar que o advogado do Senado veio pintado para a guerra... "conflito entre as instituições", lembram? Ou ele se preparou antes de costurarem o acordão ou o Senado quis mostrar os dentes, mesmo já tendo acordão. Mais provável que seja um pouco dos dois>>

<<Os que votaram com MAM são os que são mais suscetíveis à pressão midiática: Fachin, Weber (e Barroso espiritualmente)>>

<<Vamos ver se o STF vai se engraçar com a mesma leviandade no futuro... possivelmente o tal voto do aborto do Barroso não sairia se fosse depois deste julgamento>>

<<O recheio da fala “conciliatória” de Carmen Lúcia é "este STF é o garante da governabilidade (do golpe)">>


Ciro:

<<Derrota significativa da lava jato, do Janot e da mídia. Se vai ser mais significativa a longo prazo é difícil de dizer. Tipo a votação do sobre rito do impeachment ano passado. Na época foi vitória da gente... Depois não adiantou nada>>

Romulus:

<<Ciro, concordo com a sua avaliação. “1x0 para a gente, ainda com 2o tempo pela frente” tenta traduzir o que você disse.
Se eles tivessem conseguido tirar o Renan, tinha acabado: era o Ato Institucional No. 1 do Reino da Oligarquia Concursada do Brasil.
Como perderam, a gente teve uma vitória tática. Nesta rodada...
A gente tem que ver se eles (todos... políticos/STF/Temer) vão resistir a essa nova onda de assalto.
Em parte é bom, para os do STF verem como a mídia e "as massas" (?) são volúveis... quem sabe fiquem com pé atrás (duvido).
Entendam a "raivinha" da Globo/Moro: chegaram MUITO perto da vitória e lhes escapou. O jogo continua...>>

Maus perdedores: que deselegante, Marinhos jr.!


Ciro:

<<No "nosso lado" - e sobre nosso não falo de esquerda ou direita, falo no lado de manter o mínimo de institucionalidade - o fato do descrédito do STF perante a opinião pública respinga para todo o judiciário, especialmente no dia seguinte da foto do Moro com Aécio. Pelo menos "guardiões da ética" eles não são mais na frente de boa parte da população>>



Romulus:

<<Dificuldade: o que NOS QUEREMOS VENDER é contra-intuitivo. É contra-intuitivo dizer que o "juiz é o bandido" e que o "Renan é o mocinho". Lembra da minha tia? Mais contra-intuitivo ainda é dizer que “NAO TEM MOCINHO NEM BANDIDO. Tem – apenas – jogo de poder”>>

Ciro:

<<Tem que ter mocinho e bandido... Tem que ter o bichinho do He-Man contando a moral da história. Faz parte da narrativa da motivação. Você está querendo que toda a humanidade se torne um Ubermensch nitzchiano.. Não estão preparados...>>

Romulus:

<<Por isso que meto o pau na elite brasileira e chamo de jeca e pedante. Eles enchem a boca para falar q Lula não tem diploma... mas são infinitamente menos capazes que ele. A gente tem uma ~ oligarquia ~ sem ter uma ~ aristocracia ~. Eles são eternos nouveau riche... de geração em geração...>>

Romulus:

<<Li agora a Miriam Leitão falando sobre Reforma da Previdência... essa não é (tão) “burra” não. É (mais) maliciosa mesmo...
Ela fala que "o governo pequeno e impopular resolveu enfrentar o tema de longo prazo das aposentadorias" mas critica que "os militares foram deixados de fora".
Ela não consegue ver causa e efeito nem na cara dela?
É justamente por ser impopular e fraco q a reforma vai cair em cima de quem não tem representação e vai preservar quem tem fuzil em casa. Fazer uma reforma de longo prazo com um presidente “a título precário” é que é o erro. Se ela não visse isso, seria “burra”. Mas não é... então só fala de militares para fazer jogo de cena. Tem que pegar os militares e a casta jurídica do Estado, lógico. Mas como fazer isso sem apoio popular? Ah, Miriam...>>

Ciro:

<<É a estratégia, lembra que para o economista, não é uma questão qualitativa é só quantitativa... "Não morrerão mais de um milhão de pessoas, e isso não será o bastante para resolver o problema... Ou seja, ela está fazendo "lip service" para a inclusão dos milicos...
Para economistas só importa o lado direito da planilha fechar com o lado esquerdo...
É deliberado, a PEC "disciplina o conflito distributivo". Disciplina assim: quem tem mais poder fica com mais, quem não tem se fode e se sacode...>>

<<No fundo "só Nixon pode ir à China". E por isso (hoje em dia) só o PT podia fazer a reforma da previdência. Tem que acontecer de forma pactuada>>

Romulus:

<<Depois deste ano então é que nunca mais ng vai brincar em indicação para o STF no BR...
Olha td que esses caras fizeram: rito do impeachment, negar ver o mérito, tirar o Cunha, tentar tirar o Renan, fim da 3a instancia, "excepcionalidade da lava jato" (by Barroso), aborto>>

Ciro:

<<Com relação a institucionalidade, você tem de um lado o consórcio lava-jato e mídia que tem como objetivo declarado acabar com a atual institucionalidade e de outro lado vc tem uma esquerda que acabou de tomar um golpe que as instituições deveriam não deixar ocorrer, se estivessem funcionando. Agora, cara pálida, tentar zelar pelo mínimo de institucionalidade é literalmente tentar reformar um status quo que ninguém mais quer que continue. Os agentes partiram para a revolução, só que tem diferença entre qual revolução vai ser e qual o país que vai sair daí. A constituição de 1988 acabou, e a gente que sabe que pode piorar tem como obrigação tentar segurar alguma coisa...
Mas vamos combinar, o contrato social tá rasgado e estamos à beira de ser um failed state>>

Romulus:

<<Só um reparo: a esquerda - políticos ao menos - podem não falar, mas tb sabem que pode piorar e tão trabalhando por preservar o que sobrou da institucionalidade. Pq sabem que o golpe mídia-judiciário é pra acabar de vez com eles e torna-los do tamanho do PSOL pra sempre>>

Ciro:

<<Boa parte da esquerda QUER a ruptura total institucional. Sonham que dá para ter uma institucionalidade melhor e não atentam para que dá para piorar e muito. Por isso existe essa convergência. Esquerda digo no discurso, pq vc bem sabe que “na prática a teoria é outra”. Mas os fatos não importam - o que importa são as narrativas. Resultado é Lava Jato + Esquerda querendo reformar o país.

<<Eu lembro de alguém que acreditava nisso também, uma Sra. muito honesta que dizia que não ia restar pedra sobre pedra... e realmente não vai restar...>>

Romulus: isso aí... essa tal Sra., Dilma, foi a primeira pedra a rolar, não foi?

Maria:

<<Tenho que falar de novo do "ser" da política e do "parecer ser", a dimensão intersubjetiva onde se interpretam as ações do poder e se adere a elas ou não? Vocês queriam o que? Vamos dizer "toda a verdade, nada mais que a verdade" que é uma abstração analítica (por mais correta que seja) que ninguém vai entender e virar as costas pra você? Não fazer isso é “hipocrisia”, “má fé”?>>


Romulus:

<<Institucionalidade mesmo, de verdade, só com uma nova constituição e uma nova geração, que "não tenha visto o pecado". Tipo 40 anos no deserto... pq na nossa geração, depois deste ano, ng acredita mais em instituição, constituição e o car...lho>>

<<Não existe cirurgia de reconstituição de hímen rompido em um estupro coletivo à Constituição. À luz do dia e à vista de todos. Ninguém vai esquecer o que viu e o que viveu. O problema é o que fazer enquanto não passam os 40 anos de depuração errando no Deserto do Sinai...>>

Ciro:

<<E Moisés (Lula) não vai entrar na terra prometida, ok. Mas a gente tá querendo matar o Moisés ainda no deserto do Sinai...>>

Romulus: isso aí... perfeito

*

Contra-ataques não tardaram:





*

Atualizações

Como sempre, post a ser atualizado de tempos em tempos com as reações de vocês e novos desdobramentos no noticiário.

Até!




*   *   *

Achou meu estilo “esquisito”? “Caótico”?


- Pois você não está só! Clique na imagem e chore as suas mágoas:


(http://www.romulusbr.com/2016/12/que-poa-e-essa-vol-2-metalinguagem.html)


(http://jornalggn.com.br/blog/romulus/que-p-e-essa-ora-essa-p-e-romulus-por-o-proprio)


*


(i) Acompanhe-me aqui no blog: assine aí embaixo para receber novos posts por email!


https://lh3.googleusercontent.com/J5GR6RTZJ7pt1pkG0gIEZkqS9Zh-YP0epXqEy8zXOX1yTFAFV4RPbrk0-t08q7O9Qw7eoSaGDjC0sLzVIAhmSRv7WRvhjB6GyUxfdW0l5YjXCQhlSDhyzGjtlRx7IQtH3DlI7us


*


(ii) No Facebook:


https://lh6.googleusercontent.com/7qDhkW7kt2VUdiKDI7Fb_MN6iBzhKh3WZ6JCcpDBiYwZlfGfQirNKx1CBirbVf02S02piZuC2TquQXACfNszK5U8iHFvOAKYKh73ZzA4RA9tV3smMzTDDaGZETShHSC5D6NNJuc


*


(iii) No Twitter:


https://lh5.googleusercontent.com/qdEvmS27_bnYauukZLgaQDwCoxsttlV9VlEkqxpaB4I2K3FR7wn2l3ftcP5HcuT_8FJL2eyAhfYt7gKttSTt-v-ZyjVpxrnGRwpmzcQmWwPZqlQ2UZdD67AiWb_605U9S6S69fE


*


(iv) E também no GGN, onde os posts são republicados:


https://lh5.googleusercontent.com/YHvaoddoegv9hVMP9ntNrtER6BwiamTqYUvBA6fRMAkOwiSD0kq-3SrfOIIEVWRzPfs-H8FJ6NWFqesjopT4-XaxupwOQcB-vlaYQqsyP6_0B7zQ8JIC3FsvWTsCj15DXoNj3Uc


*



Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como "uma esquerdista que sabe fazer conta". Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.


12 comentários:

  1. Muito bom! Quem acompanhou a sessão vai se deleitar com essas análises e rir bastante de vez em quando. E quem não acompanhou vai entender direitinho todo o jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espera pra ver a versao integral!
      Vcs sao demais!!!

      Excluir
  2. Prezado,
    Peço licença para oferecer uma outra interpretação.
    Depois da decisão de ontem, vê-se que existe uma hierarquia dentro das forças do atraso. Mas que aqueles em posição hierárquica inferior ainda têm serventia para a consecução dos objetivos daqueles em posição hierárquica superior. Além disso, não dava pra arriscar a não aprovação da PEC enquanto o povo ainda está dormindo e a esquerda em choque. Sabe deus como estarão articuladas as forças dentro do congresso para a eleição das duas casas legislativas no ano que vem, e as dificuldades operacionais que trarão. Também é imprevisível como essas forças estarão articuladas com o executivo, após o embarque definitivo do PSDB no governo Temer, ou se transformando no governo por via indireta. De qualquer forma, os acontecimentos dessa semana, inclusive a festa da Istoé, deixaram claro como estão organizadas as forças do atraso, havendo uma clara articulação consciente entre todos os atores envolvidos, seja sob a forma de convencimento, seja sob a forma de pressão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. perspectiva interessante. Nao é totalmente incomopativel com a do artigo. Concordo com vc que ha uma diferença de poder de fogo. Mas em vez de hierarqui vejo parceiros de dimensao diferente cooperando/competindo dentro de um consórcio.

      Excluir
  3. Prezado,
    Muito obrigado pela resposta.
    Me permita ainda algumas considerações.
    Acho que o roteiro do golpe até agora denota uma competição, para usar sua expressão, de cartas marcadas, onde o PMDB e nanicos foram usados para entregar o poder "político" ao cavalo que não pasta (excelente analogia por sinal). Estão sendo descartados, não pelo Temer, que esse nem pra isso serve, mas pelo consórcio justiça/MP/Globo, exército a serviço das forças do atraso. O timing não deixa dúvida de que o que queriam era apenas assustar Renan e derrubar sua pauta de fortalecimento do congresso e enfraquecimento do judiciário e MP. Aliás, importante considerar que o pedido da rede foi parar no colo do único ministro cuja decisão já estava pronta e que se sabia qual era. E que mesmo assim, Gilmar nem se deu ao trabalho de voltar da Europa para o julgamento do pleno, denotando também a certeza do resultado final. Outra coisa, concordo com o termo competição. Usei o termo hierarquia, talvez mal empregado para caracterizar a relação entre os atores porque as relações de poder entre eles são nitidamente assimétricas. Por exemplo, a única carta na manga do Temer é a renúncia antes do fim de 2016. Mas como se tornaria presa fácil para a república de Curitiba, difícil até ameaçar tal ação com o vigor necessário para que seja ele seja levado a sério. Me lembra a situação de uma vítima cavando a própria cova sob a mira de um revólver. Sem coragem para enfrentar seu algoz mas esperando que o passar do tempo crie condições para uma tentativa final em direção à sobrevivência. Enquanto isso continua cavando. A partir dessa assimetria está sendo possível enfraquecê-lo ainda mais, para que o golpe final seja dado no início do próximo ano, inclusive via renúncia, porque é a solução mais rápida e menos traumática. Volto ao tema porque como conferir legitimidade ao Temer é impossível e lhe falta autoridade, terão que colocar nos eu lugar alguém que ao menos aparente autoridade moral para que possa ser operacionalizado todo o pacote de maldades. Autoridade moral inclusive frente às forças armadas. A ameaça do Centrão hoje foi claramente coordenada pelo palácio do planalto, numa tentativa desesperada de criar as condições de sobrevivência de que falei acima. Nada que algumas notas na mídia e uns vazamentos seletivos não resolvam. Finamente a conversa ao pé do ouvido entre o presidente da república de Curitiba e o "mais chato de todos" serviu apenas para assegurar ao cavalo que pode assumir sua posição de destaque na corrida porque não será importunado pelo pessoal do antidoping. A paciência dos que mandam está se esgotando rápido, inclusive com o cavalo. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima análise!

      Só discordaria de que queriam apenas dar um susto no Renan. Esse podia até ser o objetivo inicial. Mas depois que Globo/Curitiba boys colocaram o bloco na rua e MAM deu a Cautelar, não quiseram mais se desmoralizar numa detente. Foram pra confrontação total.

      O recibo de má-perdedora da Globo, com capa desaforada no jornal impresso inclusive ("Desobediencia premiada" - https://twitter.com/claudiofgh/status/806845771668713473), nao deixa duvida de que ao menos num segundo momento se investiram por inteiro.

      Excluir
    2. Também desafio a encontrar algum colunista mídia mainstream defendendo a atuação do STF. Quem faz sua vida construindo narrativas de "mocinho e bandido" não tem como dar reviravolta tão rápida. O Mercado tentou enquadrar a mídia, mas só se deu conta do real perigo quando estava tarde demais (afinal de contas o objetivo de toda a classe política durante os últimos meses foi assegurar que não havia risco algum para a PEC que os reduz a insignificância) e esta não tinha como voltar atrás sob risco de incorrer o ódio total de seu próprio público. Não dá para insuflar manifestações "FORA RENAN" no domingo e passar pano na quarta feira. Como diz o ditado: "o povo tem memória curta"...

      Enfraquecido saiu Janot e o MPF em BSB. Duplamente enfraquecido não apenas por ter perdido quanto pelo voto do Teori.

      O STF sai enfraquecido perante a população, mas o Moro não, ficou bem na fita exceto pela fotinho com o Aécio que não vai ter pouco impacto perante o grande público. Afinal essa fotinho não saiu na capa do Globo e da Folha né?

      A mídia queria derrubar o Renan e acabar com o que resta do PT numa tacada só. Apostavam que o Viana não ia resistir a pressão e o desgaste com a própria base seria imenso. Não conseguiram. A mídia QUER uma nova esquerda que não consiga dialogar com o povão e fique reduzida aos seus 30% (teto) da população para sempre.

      Excluir
    3. Só para me trollar, o Reinaldo Azevedo escreveu uma defesa a atuação do STF na folha, batendo no Janot, no MAM e nas associações de juízes. Eu admito que estar fazendo uma análise minimamente semelhante ao do Reinaldo Azevedo me incomoda muito - vai gerar reflexão.

      http://www1.folha.uol.com.br/colunas/reinaldoazevedo/2016/12/1839766-marco-aurelio-planta-decisao-ilegal-e-stf-colhe-desrespeito-a-ordem-judicial.shtml

      para os Sem-Folha:

      http://nao.usem.xyz/9mr8

      Excluir
    4. Pois é rapaz. Dei uma passada de olhos na Globo News, mais sóbria, e perdi a reação publicado na midia impressa. Levando em consideração que a própria mídia já havia noticiado o acordão, sem nenhuma gritaria e somente elevou o tom posteriormente, estou mais pra considerar tal reação, por um lado como jogo de cena e por outro como forma de manter a pressão. Abraço.

      Excluir
  4. Reinaldo Azevedo não é mainstream. Pode coincidir, mas não é. Ele não fala -necessariamente - o discurso que mira a classe média ("mocinho x bandido"). Ele é o Mainardi são o que chamei aqui de "jornal(ob)istas". As vezes vai divergir do discurso mainstream e coincidir com o lado "certo" (argh!!)

    ResponderExcluir
  5. Romulus, uma hipótese:
    É notório que o hóspede da casa branca está fazendo o que pode para incendiar o mundo com o objetivo de complicar ao máximo a vida de seu sucessor.
    Sabemos que nossos golpistas são intimamente ligados à sua facção, e podem estar ajudando o incêndio. A zona em que estamos vivendo, de um ponto de vista nacional, é completamente despida de lógica.
    Acho que, antes de março/abril próximos, não há possibilidade de pensar em remédio.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada a todos pela luz dos esclarecimentos. Sinto só falta de um detalhe, o fato do MP e Moro estarem colaborando com os eua, não acha q poderia enfraquecer os curitibaboys, na perspectiva do povão? E a delação da Odebrecht, Moro/Globo vão conseguir blindar mesmo o PSDB com o não vem ao caso?

    ResponderExcluir

Receba novos posts por email!