Destaque:

Estado brasileiro na encruzilhada. Já sabemos o que a Globo quer... e você?

Atualizado em 7/12: O <<juízo final>> no STF hoje Queria poder dizer que criei esta montagem, mas não......

Receba novos posts por email!

30.8.17

NA FRANÇA, EX-PRESIDENTE DO EQUADOR DISSECA GOLPES MIDIÁTICO-JUDICIAIS NA AMÉRICA LATINA – TUDO À SOMBRA DA ASA DA “ÁGUIA” AO NORTE

Publicado 29/08/2017 - 9:22 Atualizado 29 e 30/8/2017 - 11:52 Com: - Mais repercussão do "boilivarianismo" na França. - Vídeos em espanhol explicando o golpismo no Equador

👉NA FRANÇA, EX-PRESIDENTE DO EQUADOR DISSECA GOLPES MIDIÁTICO-JUDICIAIS NA AMÉRICA LATINA – TUDO À SOMBRA DA ASA DA “ÁGUIA” AO NORTE


Do Facebook de Romulus:


Testemunho imperdível do ex-Presidente do Equador Rafael Correa, na França (link para o youtube no final do post). Traça panorama preciso do avanço do golpismo de direita nas Américas. Agora, na sua nova “encarnação”: midiático-judicial.


Repetindo feliz síntese do renomado jurista argentino Eugênio Raúl Zaffaroni, Correa afirma estar em curso na região uma nova “Operação Condor”.


Desta vez, o golpe não se vale mais de “homens fardados”, mas sim de...


- ... homens togados!


*


Nota: mais sobre a “Operação Condor Vol. II” mais abaixo.


*


Correa foi à França a convite do (“partido”) “França Insubmissa”, de (seu amigo) Jean-Luc Melénchon.


(eleito deputado em junho último. E, um mês antes, candidato da “esquerda da esquerda” na disputa presidencial francesa)


Melénchon que faz, inclusive, a abertura do evento. Com fala bastante interessante, que comento no final.


*


DESTAQUES DA FALA DE CORREA
(para quem não fala francês... tradução não literal, com mais algumas adaptações, comentários e complementações minhas)


*Minutos 38 e 40*
Menciona o golpe em Dilma Rousseff no Brasil e o fenômeno, transcontinental, de “judicialização da política”.


*Nota (Romulus)*
Eu, pessoalmente, acho que essa expressão não é mais suficiente para descrever o que ocorre nas diferentes “institucionalidades” (aspas!) latino-americanas.


O que começou “timidamente”, como “judicialização” de certos conflitos políticos pontuais, concretos...


(e.g.: “pode ou não abortar feto anencefálico?”; “pode ou não gay casar?”; “pode ou não pesquisa com célula tronco?”; “pode ou não decretar reserva indígena em território contínuo, gigantesco, na fronteira?”; etc.)


- ... avançou para muito além disso.


O que se tenta agora é implementar a tutela, direta, da política – e dos políticos!, pela dobradinha Grande Mídia/ Judiciário-MP.


Fazem-no através de operações de chantagem, desestabilização, boicote, desgaste e perseguição político-jurídica (lawfare).


Apelam, como último recurso, para o “tapetão”:


- A cassação pura e simples dos direitos políticos de qualquer liderança popular com viabilidade em eleição majoritária em âmbito nacional.


No Blog, como os leitores já sabem, refiro-me a essa tática como “golpe juristocrático-midiático”, componente central do projeto maior de “Noocracia (escamoteada!)”/ “‘Democracia’ à iraniana no Brasil”.


Quer dizer...


Como vemos, “Noocracia (escamoteada!)”/ “‘Democracia’ à iraniana”... em TODA a América Latina!


*


Mais sobre isso em:
“Operação Condor II – judiciário-midiática! – e o alvo-mor: Lula” (16/7/2017)
- Link: http://bit.ly/CondorII


*


*Minuto 45:30*
Esquerda na região foi vítima do próprio sucesso, com a inclusão de dezenas de milhões de (ex) pobres na (baixa) "classe média".


Houve um fenômeno (psicossocial) de conjugação de:


(1) uma "prosperidade objetiva", refletida na melhora – fática! – das condições de vida;


Com...


(2) uma "pobreza subjetiva", em que o parâmetro para a avaliação da satisfação com a nova condição socioeconômica deixou de ser o “de onde saimos” para passar a ser o “onde queremos chegar”.


E aí a mídia, obviamente, desempenhou papel fundamental, promovendo como ideal um estilo de vida...


- ... “yuppie de Wall Street" (!)


A propaganda midiática seguia dois vetores:


(A) “Propaganda positiva”, com essa glorificação do "anseio de ascensão capitalista yuppie".


E dá-lhe programas de TV/ rádio/ livros sobre “empreendedorismo”; “investimentos” (sic); “viagens internacionais”; “vinhos importados”; etc.


(Descrevo esse fenômeno em: “Como Globonews e CBN criaram o ‘coxinha’” (24/5/2017)
- Link: http://bit.ly/Coxinha-e-Globonews)


E...


(B) “Propaganda negativa”, em que se aproveitavam reveses econômicos conjunturais, como o fim do superciclo das commodities (2014) e dificuldades pontuais, como fenômenos climáticos adversos, para trombetear um alegado "desastre" na condução da economia pelos governos de esquerda.


Exemplos mais que ilustrativos dessa dinâmica:


- A infame "inflação dos tomates"; e


- A exploração midiático-política do aumento – conjuntural! – do preço da energia no Brasil, com o acionamento de usinas térmicas, diante da maior estiagem em um século!


*Minuto 48*
Caso Odebrecht, afetando 12 países da região.


Segundo Correa, "prova" de que a "corrupção vem também do setor privado e não apenas do Estado".


Para ilustrar a hipocrisia do discurso de "combate à corrupção" em nível internacional, Correa menciona que na Alemanha, até pouco tempo atrás, multinacionais alemãs atuando em países periféricos eram autorizadas a deduzir do imposto de renda quantias pagas como suborno a autoridades que corrompiam nesses países (!)


(e dá-lhe "Ética protestante e o espírito do capitalismo", Prof. Dr. Weber!
Dá-lhe também “Mamma Merkel”, a “Santa protetora dos perseguidos do terceiro mundo”, Revista Newsweek!)


*Minuto 52:30*
¡¡REVIRAVOLTA POLÍTICA NO EQUADOR: A TRAIÇÃO DO SUCESSOR DE CORREA!!


O desdobramento atual do golpismo transcontinental no Equador é a traição do atual Presidente ao projeto que o elegeu, casado com o avanço judicial-midiático contra lideranças populares.


Nota (Romulus):
Para entender, imaginem algo como se um "Temer", tão dissimulado quanto o “original” brasileiro, em vez de vice de Dilma, tivesse sido escolhido por “Lula” (i.e., Correa), na aliança eleitoral, como o cabeça de chapa na disputa pela Presidência.


Pois então. Sendo o “Temer” equatoriano o titular, não precisou de “impeachment” (aspas!):


- Bastou vencer a eleição para, logo de saída, jogar no lixo o programa de governo pelo qual fora eleito.


(i.e.: “eleito” pelas mãos do Presidente que saía, o ultrapopular Rafael Correa!)


Ou seja, o programa da continuidade, popular, da “Revolução Cidadã”.


Uma vez eleito, o sucessor de Correa traiu-o e passou a aplicar, justamente, o programa derrotado na eleição – o da oposição de direita neoliberal (!)


Oposição essa com quem passou formar governo (!)


- PARECE OU NÃO PARECE FAMILIAR, MINHA GENTE BRASILEIRA?!


Não satisfeita, a direita equatoriana tenta, agora, destituir o Vice-Presidente (no nosso esquema, a “Dilma” local) – que resistiu e permaneceu leal ao projeto popular.


De novo: o inverso perfeito do que ocorreu no Brasil...


Como se uma "Dilma" vice-Presidente precisasse ser destituída pelo “Temer”, titular.


Usam, para forçar essa destituição, o lawfare judicial-midiático.


Sem surpresa, Judiciário e Ministério Público equatorianos usam para isso a delação da Odebrecht (!), fruto de cooperação com os Procuradores do Brasil e dos...


- ... EUA!


Mas...


Fica ainda pior: como no Brasil, a “mera” destituição de eventuais sucessores do projeto popular não basta.


(No Brasil, Dilma. No Equador, o atual Vice-Presidente)


A consolidação do golpe dar-se-á com a cassação dos direitos políticos da liderança fundadora, original, do projeto popular-soberano:


- No Equador, Rafael Correa.
(para a eleição de 2021)


- No Brasil, Lula.
(para a eleição de 2018)


(vale lembrar que tentam ainda o mesmo com Cristina Kirchner na Argentina)


Aliás, o próprio Rafael Correa diz expressamente em sua fala que, no Equador, em tudo se emula a estratégia empregada no Brasil.


Recomenda, inclusive, que os espectadores, para entenderem melhor o que se passa no Equador, leiam sobre o que se passa no Brasil (!)


A dinâmica é a mesma:


- “Um escândalo de corrupção”;
(no caso, a mesma Odebrecht!)


- Maximizado pela dobradinha mídia/ Judiciário-MP;


- Com processos tocados em passo casado com a política;


- Com a finalidade maior de alijar a esquerda do poder. De forma perene!


*


No Equador, o alvo atual da perseguição midiático-judicial é o Vice-Presidente. E isso somente por, apesar da enorme pressão, ter-se mantido leal ao projeto popular, de esquerda, com que a chapa venceu a sucessão de Rafael Correa (!)


Com o apoio determinante do próprio (!)


(que mané “Collor” e “FHC 2” o quê...
Isso sim é que é estelionato eleitoral!)


Como últimos obstáculos à guinada total do Equador à direita financista, liberal-globalizante, o Vice-Presidente e a maioria parlamentar eleita, de esquerda, tornaram-se alvos prioritários a serem abatidos.


Mas sem que se esqueça o objetivo final, claro:


- Implicar o próprio Rafael Correa na “corrupção” e, assim, cassar os seus direitos políticos.


*


“Lá e cá”, não é verdade?


Como celebremente disse Richard Nixon:


- Para onde vai o Brasil, vai a América do Sul (!)


Estamos exportando o know-how golpista!


“Orgulho nacional”!


Só que ao contrário...



😒

*


EXÍLIO


Ao final, na sua última intervenção, Correa diz que ele e sua família estão atualmente vivendo na Bélgica, país em que estudou (Universidade de Leuven). E onde conheceu a sua esposa, que é belga.


Pois eu digo que faz ele muito bem!


Apesar de Lula e família, via Dona Marisa, poderem ter se mudado para a Itália depois do término do mandado do ex-Presidente, permaneceram todos no Brasil.


Deu no que deu!


Inclusive com a própria Dona Marisa sendo ~assassinada~.


I.e.: na modalidade "assassinato por procuração" (!)


Da mesma forma, Lula poderia estar a salvo asilado no Uruguai, por exemplo.


Contudo, mais uma vez, vai para o sacrifício pessoal em prol – em ordem crescente:


(1) do PT;


(2) da esquerda;


(3) dos pobres;


E, grosso modo...


(4) de um projeto soberano para o Brasil.


*


"Gratidão" é pouco para expressar o que o Brasil lhe deve!


*

*

*


PARÊNTESIS: MELÉNCHON – A RAPOSA FRANCESA


Quando subia nas pesquisas e ameaçava ir ao segundo turno na última eleição francesa, Melénchon foi vítima de uma velha conhecida nossa:


- A “campanha do medo” promovida pela direita contra candidatos de esquerda.


Antes, na Guerra Fria, alertavam o povo do perigo de “comunistas”, que...


- ... “comiam criancinhas” (!)


Fazendo um “aggiornamento” – entre aspas mesmo porque já sai de fábrica mofado... – usou-se na França, no lugar do velho monstro “Stalin”, um novo “espantalho”...


Não outro que:


- Hugo Chávez (!)


Sem medo do ridículo, o jornal ultraconservador “Le Figaro” estampou em chamada de capa:


(inteira!)


“Melénchon: o delirante projeto do Chávez francês” (!)


(sobre essa apelação vexatória, ver “ALERTA NA FRANÇA (E BRASIL!): QUANDO A MÍDIA SE DARÁ CONTA DE QUE O SÉC. XX JÁ ACABOU?” (18/4/2017) – link: http://bit.ly/2wDvt3h)


*


Pois bem.


Águas passadas...


A eleição presidencial na França já passou, certo?


Bem...


Pode até ser...


Mas...


Querendo agora se vacinar de um nova “acusação” dessa natureza no futuro (“França 2022”!), o esperto Melénchon faz questão de... hmmm... “contextualizar”...


... “matizar”...


... “qualificar...”


... “adjetivar”...


... “fazer ressalvas a”...


... “relativizar”...


...


(a continuidade do...)


- ... seu apoio aos governos “bolivarianos” da América Latina.



😉😉😉

Primeiro (a partir do minuto 5:12), lembra que pegou – do mesmo Rafael Correa!, o conceito de “Revolução Cidadã”...


Mas...


Depois disso...


A raposa francesa faz questão de fazer “une petite précision”...


Um “pequeno esclarecimento” (sic):


- Nós (Melénchon e a sua “França nsubmissa”) não temos a América Latina como modelo... mesmo quando pegamos emprestado algumas das suas expressões.


(...)


- Não temos “modelo” e sim “fontes de inspiração”.


(Ah, bom, Melénchon!)


(...)


- Nunca me passou pela cabeça governar a França como (você, Correa, governou) o Equador. Simplesmente porque nossas situações são totalmente diferentes.


- Naturalmente, o que digo aqui sobre o Equador vale, da mesma forma – vocês terão entendido as minhas entrelinhas, né?, para quaisquer “outros países”.


(Risos!
Melénchon sequer tem coragem de dizer o nome do “encosto”: “Venezuela”!
Que dirá então do “demônio-pai”: “Cuba”! rs)


- Contudo, não será nem por conveniência (política), nem para evitarmos virar alvo da propaganda internacional – que tenta reeditar um clima de “Guerra Fria”, que perderemos o nosso tempo atirando pedras nos nossos amigos (da América Latina).


- Sabemos que não são perfeitos – até mesmo porque nós mesmos não o somos! Também sabemos que, nessas experiências, houve alguns momentos “luminosos” e outros de “fraqueza”. E aprendemos... tanto com as circunstâncias “fortes” quanto com as “fracas”.


- Mas, sobretudo, registramos o nosso aprendizado e manifestamos o nosso respeito àqueles que vivem tão perto de um império agressivo, violento e que está sempre a organizar complôs, golpes de Estado, tentativas de assassinato e de desestabilização!


(aplausos gerais!)


- Apesar do “terror” (sic!!!) de que possam se valer nossos amigos, nós não perdemos de vista que o principal responsável pelo mal, pela desordem e pelas tentativas de guerra civil (na América Latina) é o imperialismo americano!


(e o auditória vai abaixo em gritos e aplausos entusiasmados! rs
Viva a oratória ensaboada de Melénchon! rs)


*


Mais sobre o "equilibrismo" retórico de Melénchon em: "Eleição na França: a delicadíssima situação política da “extrema-esquerda”, de Melénchon, no segundo turno" (27/4/2017)
- Link: http://bit.ly/2vyUb16


*


Link para a palestra de Correa no Youtube:
(em francês - com um sotaque mega fofo!)
http://bit.ly/2vmeJhd


Dica de Paty do Núcleo Duro.








*


*


*


*


ACRÉSCIMO:


Fiquei imaginando os bastidores dessa "traição" pós-eleitoral no Equador. E aí pensei no mais simples:


- O Presidente eleito recebeu uma "visitinha" do Embaixador americano na véspera da posse.


E o gringo falou "apenas" o seguinte:


"Look... either you do what we tell you to do or else...
Well... we will sack you.
Simple as that.
Just like we did with that buddy of yours, Dilma Rousseff.
And maybe... even have you - and your wife and children! - arrested.
Hint: "Lula, Marisa and Lulinha".
Does it ring any bell?
I don't mean to pressure you more than I need to, but I would just like to further point out that Dilma was the President of "all mighty" Brazil, you know...
Dilma, Putin and Xi were "BRIC buddies" and all, remember?
Ha-ha!
Gone!
One less on our hit list.
You, on the other hand, are the just the President of a teeny-tiny country…
One that only knows how to produce:


(i) savages that can’t even speak Spanish;


(c'mon, man! After 5 centuries?! WTF!)


(ii) oil – that WE taught you how to extract; and


(iii) bananas.


“Bananas IS (indeed) your business” - haha!
That's a good one...
Funny 'cause it's true, right??


Look... I'm trying to be a good friend here, man...
Trust me that the odds are against you on this one.

Just saying..."

*

*

*

A RESPOSTA DEVE SER CONJUNTA

Como o fenômeno é o mesmo, com as mesmas táticas e os mesmos objetivos estratégicos, acredito que deveria haver coordenação também do "nosso" lado.

Sugiro, por exemplo, para começar, um encontro entre TODAS as lideranças de esquerda do continente. As perseguidas (Lula, Cristina K., R. Correa, Lugo, Maduro, e até José Sócrates (Portugal), ...) e outras, solidárias (Evo, Mujica, o próprio Melénchon, ...). E, no final do evento, a publicação de uma declaração conjunta, denunciando o "esquema" concertado golpista transcontinental.

Sugiro, ademais, que tal encontro se realize no Brasil, tendo Lula como anfitrião. Afinal, Lula é a primeira peça do "dominó" a ser derrubada: seu processo é o mais avançado e a eleição que querem viciar com a sua cassação é a mais próxima ("2018").

Que tal, lideranças?

*

*

*

ATUALIZAÇÃO 29/8 (1):

Parlamentar fiel ao projeto popular e soberano da "Revolução Cidadã" dá entrevista de uma hora sobre a traição do novo Presidente.

Detalhe: de nome "Lenin" (!)

Agora em espanhol... ufa!



Nota: há um breve resumo dos acontecimentos do minuto 39:20 ao 43.


Menciona-se, inclusive, o pedido de "impeachment" contra o Vice-Presidente ("juízo político").

E, ainda, a ida à Bélgica de uma delegação de parlamentares fiéis, para articulação com Correa.

*

Off topic (pero no mucho):



*

*

*

ATUALIZAÇÃO 29/8 (2):


FRANÇA vs. VENEZUELA: MACRON USA MADURO PARA ATACAR MELÉNCHON

Emmanuel Macron, Presidente da França, não poderia estar c*g*ndo mais para o tal "sofrimento do povo venezuelano"...

Isso é política!

E interna!

Sua aprovação desaba pesquisa após pesquisa, com o grosso da população dando-se conta, só agora, dos planos que o “moço” tem para os seus direitos.


Nesse contexto, Macron vê a oposição à esquerda, de Jean-Luc Mélenchon, crescer.

(...)

(continua: clique em "Ver mais" na janela abaixo)


*

*

*

ATUALIZAÇÃO 30/8: mais vídeos em espanhol

Um com a mesma parlamentar aliada de Correa e outro com o assessor econômico do seu governo. Ambos, no caso, sendo entrevistados por jornalistas de direita.









*

E, depois disso, nós vemos que o "truque" com "fantasma" (agora literal...) de Chávez é o mesmo em toda a América Latina.

(bem... até mesmo na França, certo??)

Vejam o que diz o eterno candidato da esquerda à Presidência do México, Andrés Manuel López Obrador - mais conhecido pelo acrônimo "AMLO":

(e que ~ganhou~ a eleição de 2006!
Bem... "ganhou, mas não levou..."
Golpe aqui, golpe lá, golpe acolá, gol...)




😒😒😒



*   *   *


- Siga no Facebook:



- E no Twitter:



*

Achou meu estilo “esquisito”? “Caótico”?

- Pois você não está só! Clique nos links para estes artigos e chore as suas mágoas:







*

A tese central do blog:



*

Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como "uma esquerdista que sabe fazer conta". Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba novos posts por email!